CONVENTO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS DA PENITÊNCIA – OURO PRETO – BRASIL

No dia 10 de Junho foram eleitas as 7 maravilhas de origem portuguesa no mundo.

Estas foram as vencedoras entre as 27 seleccionadas. Mas todas são símbolos extraordinários da presença e da influência dos portugueses no mundo.

Todas elas fazem parte da história de Portugal e falam: “Isso já foi Portugal”.

Porque este evento me tocou de forma especial, decidi prestar a minha insignificante homenagem a estas maravilhas, publicando aqui um resumo histórico sobre cada uma delas.

Hoje começo por uma que me tocou de forma muito especial, e mexeu com os meus sentimentos, transportando o meu pensamento para além mar, trazendo à minha memória recordações muito agradáveis.

Refiro-me ao Convento de São Francisco de Assis da Penitência em Ouro Preto.

 

 

 

Image and video hosting by TinyPic

A Igreja de São Francisco de Assis, localizada em Ouro Preto, Minas Gerais, é considerada uma das obras-primas do barroco brasileiro, além de ser uma das maiores realizações do Aleijadinho (1730 – 1814). A Igreja é uma das raras construções em que o projecto, a obra escultórica e a talha são de autoria de um mesmo artista, o que confere grande unidade e harmonia ao conjunto. Não há descompassos entre arquitectura e ornamentação. Mesmo a pintura e o douramento – do forro, retábulos e laterais -, sob a responsabilidade de  Manoel da Costa Athaide (1762 – 1830), encontram-se em perfeita sintonia com o conjunto. A encomenda do risco para a igreja, feita ao então jovem escultor, arquitecto e entalhador, se efectiva em 1766, logo após a morte do pai do artista, importante arquitecto e mestre de obras local. O Aleijadinho altera o plano primeiro da igreja, arredondando-lhe as torres e elaborando novo frontispício e ornamentos para as fachadas, que se enriquecem em graça e detalhes pela mestria com que maneja a arte do cinzel.

Os modelos barrocos europeus se aclimatam e se desenvolvem no Brasil ao longo do século XVIII, resvalando em soluções rococó – mais leves, simples e suaves – nas vilas e cidades de Minas Gerais a partir de 1760. Aí, as construções perdem suas feições monumentais, e os templos adquirem toques intimistas e dimensões reduzidas. A decoração em pedra-sabão constitui outro traço peculiar e original do barroco mineiro que se expande por diversos núcleos de mineração da colónia. A vida urbana de Vila Rica (elevada à categoria de cidade em 1714 e baptizada Ouro Preto, em 1897) abriga uma população heterogénea, um intenso comércio e diversos tipos de artes: música, literatura (os integrantes da Arcádia), arquitectura, pintura e escultura. A predominância de mulatos nas artes plásticas mineiras, nesse período, é explicada em função da relativa liberdade desse segmento na obtenção de serviços que não podem ser feitos nem pelos escravos, nem pelos brancos, que não realizam trabalhos manuais. É nesse ambiente urbano que surgem novos profissionais, como o Aleijadinho, cujo aprendizado se dá pela prática no canteiro de obras, na elaboração de riscos, na escultura em pedra-sabão e na talha de altares. O contacto com artistas mais experientes é outro factor decisivo na formação do artista: além de seu pai, Manuel Francisco Lisboa, ele se beneficia das relações com João Gomes Batista (desenhista e medalhista), e com José Coelho de Noronha e Francisco Xavier de Britto (entalhadores).

O conjunto da Igreja de São Francisco de Assis, com suas proporções reduzidas, arquitectura e decoração, constitui um exemplo bem acabado dos contornos que o rococó europeu adquire entre nós, podendo ser descrito como uma sequência integrada de três volumes – nave, capela-mor e sacristia – de proporções harmónicas e ornamentação sóbria. A decoração, com anjos, elementos vegetais, fitas, guirlandas e entrelaçados em madeira e pedra-sabão, confere movimento e dinamismo à obra. A planta da igreja mostra um espaço modelado por superfícies convexas, em que as torres cilíndricas, recuadas, conectam de modo subtil o frontispício e o corpo da igreja. A elevação principal é outro elemento a dotar de leveza o conjunto, que parece menor do que efectivamente é. A solução de recuar as torres – que são deslocadas do plano da fachada a partir de uma espécie de movimento em rotação – dá destaque ao frontispício. Na composição deste, a portada ocupa lugar central, dominando a superfície entre as duas janelas do coro. O medalhão, no alto, permite aferir a mão precisa do entalhador.

No interior da igreja, a luz difusa é filtrada pelas janelas laterais. As quatro janelas do coro, por sua vez, jogam a luz em direcção ao teto da nave central, pintado por Athaide. Os púlpitos são instalados no arco-cruzeiro, na passagem da nave para a capela, o que promove uma perfeita articulação dos espaços. Em pedra-sabão, os púlpitos dialogam com as talhas. A talha do retábulo, por exemplo, se articula às existentes nos quatro cantos do forro, com medalhões ao centro, em que figuram os santos da ordem em semi-relevo. No retábulo e em suas duas colunas laterais, o ouro sobre fundo palha ameniza os contrastes. A Santíssima Trindade do retábulo, com a virgem ao centro, mostra-se uma peça de grande valor escultórico. Nela destacam-se a ênfase nas expressões faciais das figuras e os efeitos dos olhos, característicos das esculturas do Aleijadinho. O motivo da lua crescente com as pontas voltadas para baixo, que arremata a peça, repete-se no forro de Athaide, acentuando o diálogo entre escultura e pintura.

As portadas, púlpitos e lavatórios da Igreja de São Francisco de Assis são consideradas obras maiores da escultura em pedra sabão. Germain Bazin, referindo-se ao retábulo e ao conjunto da capela-mor da igreja, declara ser surpreendente que "a realização mais perfeita desse rococó português aconteça no Brasil, e não na metrópole, e que seja devida a um mestiço". Vale lembrar que essa significativa presença mulata nas artes do período é lida por diversos intérpretes – Mário de Andrade (1893 – 1945), Gilberto Freyre (1900 – 1987) e Roger Bastide (1898 – 1974), por exemplo – como o factor determinante da particularidade do barroco em Minas Gerais.

 

Esta entrada foi publicada em As 7 Maravilhas de origem portuguesa no mundo. ligação permanente.

2 respostas a CONVENTO DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS DA PENITÊNCIA – OURO PRETO – BRASIL

  1. maria diz:

    Bom dia!Estou a servi-me deste espaço, uma vez que não consigo mandar mensagem em privado.Fechei temporariamente o espaço do " Mar Revolto" por razões que não quero falar, apenas lhe digo que continuo presente de uma forma diferente , mas presente. quando tiver mais umas musicas gravadas lhe direi alguma coisaBom fim de semanaMar

  2. Simplesmente diz:

    Parabéns pelo teu espaço!! Muito interessante, pelo conteúdo informativo, e porque não, educativo também?As fotos, os textos, tudo impecável! Aproveitas com sabedoria o teu blog, amigo!Foi bom ter vindo aqui.Tenha uma excelente semana!Beijinhos pra ti…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s